Meu nome é Mariana Cordoba. Até meus dezesseis anos, costumava ser André Santos. Meus amigos me chamavam de Dé, desde bem pequeno. Não sei direito quando tudo isso aconteceu. Vou contar a última coisa que me lembro do mundo de antes. Descobri que meu namorado estava ficando com várias “garotas “ por aí. Meninas siliconadas, de longos apliques nos cabelos e unhas vermelhas. Me senti tão arrasada. Peguei ele no corredor, flertando com a vizinha do 315. Corri pelos corredores do bloco D enlouquecidamente.  Moro no 918B e lá me tranquei me entupindo de calmantes, drogas e cigarros e sempre pensando em cortar os pulsos.Read More →

Odiava os dias de Setembro não apenas por ser seu inferno astral. Setembro era mais que isso. Era seu maior pavor. O mês nove do calendário era mais temido que a fatura do seu cartão de crédito. Em setembro viveu as coisas mais lindas da sua vida e as mais aterrorizantes também. Foi em uma manhã de setembro que deu bom dia a quem um dia foi à única pessoa que pode dizer que amou. Também  foi neste mês que essa mesma pessoa lhe roubou um beijou e todo seu juízo. Em Setembro mudou de emprego, em Setembro mudou de cidade, em Setembro disse umRead More →

Lembro como se fosse hoje o dia que ele bateu na minha porta de surpresa. Era uma terça-feira de frio e já passava da meia noite quando a campainha tocou e eu assustada me arrastei até a porta e encontrei com ele parado olhando para mim. Nem esperou chegar até ao sofá para começar a falar, me parou no corredor e ainda consigo ouvir claramente ele me dizendo com a voz rouca e acelerada: “É isso mesmo que você quer? Posso levar a sério quando me disse que comigo estava disposta a tentar? Porque é isso que eu quero e não aguentei esperar até amanhãRead More →